Chapada Diamantina Para Todas as Idades

As vezes eu paro e penso: “O que eu fui fazer na Chapada Diamantina?”

Sabe aquele destino em que você nunca imaginou? Pois é. A Chapada veio pra mim do nada. Acho na verdade que eu não escolhi a Chapada, foi a Chapada quem me escolheu.

Fomos parar lá por acaso. No planejamento da viagem do Rio de Janeiro até Aracaju, passando pelo litoral Baiano, a intenção era pernoitar em Ilhéus ou Itacaré. Mas como era início de ano, as pousadas só estavam fechando pacotes de Ano Novo. E pra mim não servia.

Optamos então, ir por Minas Gerais, subindo por “dentro”. Ao olhar o mapa, lá estava a Chapada Diamantina. E por que não? Comecei imediatamente a pesquisar mais sobre o destino e fui me envolvendo de uma maneira tão forte pelo local que nem sei explicar.

Chegaríamos no dia 01/01 e ai começou a luta pra encontrar um local pra dormir por 2 noites. Eu sei! Foi pouco, mas era o que eu tinha. E como era aniversário da pequena Camille eu precisava proporcionar um presente incrível pra ela. E nada melhor do que um passeio inesquecível.

Depois de muitas ligações, consegui uma pousada. Bem, não era necessariamente uma pousada. Explico mais a frente.

Saímos de Janaúba-MG logo após o café da manhã. O ano estava começando. Era dia 1º de janeiro. A estrada estava tranquila… Até que chegamos em um ponto da BR-122 totalmente sem pavimentação. Voltamos a um posto anterior pra saber se era isso mesmo. O rapaz informou que por ali era rápido, ou então teríamos que voltar pro inicio da cidade e percorrer mais 150 km. Decidimos então seguir pelos 70km de terra pela frente (Oh! Arrependimento). Nosso Fugêncio sofreu demais e o caminho foi super tenso.

Muito barro, buraco e lama.
Muito barro, buraco e lama.

Enfim…passado o perrengue, chegamos nos Lençóis. Cidade escolhida da Chapada. Estava uma noite muito gostosa. O clima aliás é muito gostoso. Mas naquele momento eu só desejava comida e cama.

O Village dos Lençóis é uma vila de casas dúplex totalmente equipadas. São 3 quartos, sala, cozinha, 2 banheiros, 1 lavabo, área de serviço e varanda. Uma gracinha! Tudo funcionou muito bem. Eu achei que fosse pousada, mas na verdade somente as chaves que pegamos na pousada Mirante dos Lençóis e lá também fazemos o pagamento. Achei tudo perfeito. E uma casa só pra gente, foi tudo de bom. Ficamos muito à vontade. Certamente voltaria.

"Nossa casa"
“Nossa casa”

O dia dos passeios:

Dia 02/01 – O dia mais lindo! O dia do aniversário da minha pequena aventureira. Não tão pequena assim… Estava comemorando 9 anos.

Preferimos contratar a agência de passeios Nas Alturas. Não tínhamos tempo a perder e alguns lugares o acesso não é bom de carro. E além do mais, queríamos conforto. Ainda estávamos cansados do trajeto anterior.

Iniciamos pela Pratinha. Logo ao chegar o impacto daquela água azul transparente! Muito lindo!

Cristalinas
Cristalinas

Compramos o mergulho de flutuação na Gruta da Pratinha (R$20,00)  e a Tirolesa (R$ 20,00). Mas logo na preparação para entrar na caverna, eu pensei bem e desisti (como sempre…kkk). Achei que a Camille fosse desistir também, mas como sempre não decepcionou. Logo colocou os apetrechos e ficou aguardando a vez. Eita menina corajosa!

Preparados
Preparados

O Tio Edmar foi o segundo a desistir. Pelo menos eu não fui medrosa sozinha.

Camille seguiu com o pai toda corajosa entrando naquela gruta escura, onde toda a iluminação era feita por lanternas. Voltaram de lá maravilhados. Como ela mesmo disse: foi incrível, mas deu medo.

Contraste de Cores
Contraste de Cores

A próxima atração era a tirolesa. O final dela é na “Praia da Pratinha”. O guia desceu com as nossas bolsas para pegarmos lá embaixo.

Você acha que amarelei? Nãoooo, dessa vez eu fui corajosa e me joguei de uma altura de 12 metros (baixo para alguns, super alto pra mim. Por mais que seja rápido e que eu tenha ficado com muito medo, é uma sensação única. Só aquelas águas azuis cristalina já fazem toda a diferença.

Depois ficamos por ali pela Praia da Pratinha por uns 40 minutos curtindo o local.

Praia da Pratinha no fundo
Praia da Pratinha no fundo

Dali fomos até a Gruta Azul. O guia disse que não é bonito no verão, por causa da incidência da luz. Mas eu sou teimosa e quis ir mesmo assim, era mato pertinho. E… Certo! Ele tinha razão. Não teve graça… Rsrs.

Sem luz...
Sem luz…

Seguimos ruma a Gruta Lapa Doce. No local tem restaurante e decidimos almoçar por ali mesmo antes de iniciar o outro passeio. Antes a eu esqueça, o almoço estava incluso no passeio e podíamos escolher o local. A comida é no estilo self service e tem uma boa variedade. Inclusive de comidas típicas. Cacto refogado e uma coisa feita com banana que não lembro o nome. Só sei que não comi. Mas o Davidson experimentou e aprovou.

Alimentados e prontos para mais uma caminhada, seguimos iniciamos a trilha da Gruta Lapa Doce. Recebemos luzes e iniciamos a trilha. Andamos cerca de 20 minutos. A caminhada foi tranquila, apenas muitos trechos de descida. Mas as crianças passam sem dificuldades, no nosso grupo tinha até idosos.

Formação da Gruta parte externa
Formação da Gruta parte externa

O guia da Gruta explicou que a Lapa Doce tem cerca de 22km mapeados, mas apenas 850 metros eram abertos a visitação. Entramos e a luz começou a ficar pra trás.

Luz deixada pra trás
Luz deixada pra trás

A gruta tem um clima estranho, gostoso, gelado…Escuro! É bem interessante, e eu recomendo que em todo o tempo acompanhe o guia. Existem cordas sinalizando o caminho, mas pra que arriscar?

São várias formações de estalactites e estalagmites, uma mais impressionante do que a outra. E reparando bem, algumas tem formas de pessoas e animais. Ah, a abertura da novela Pedra sobre Pedra da Globo foi gravada lá. E eu me pergunto: Como tiveram a ideia de vir pra esse breu gravar algo? kkkk

Estalactites e Estalagmites
Estalactites e Estalagmites

Na metade do percurso o guia convida todos a sentar e apagar suas lanternas. É pra sentir o tal do som do silêncio e ficar totalmente no escuro. É uma sensação indescritível, só ouvir o barulho da natureza. Ele propôs 5 minutos. Mas olha a medrosa aqui gente!!! Já começou a me dar um desespero aos 3 minutos mais ou menos e cutuquei o guia que nos levou e ele acendeu a lanterna dele. Há há! Acabei com a brincadeira.

Foram 850 metros de uma experiência única. Nunca tinha vivido nada parecido. Nem preciso dizer que a Camille se comportou super bem! Mesmo no escuro. Se você for com criança pequena ou que tenha medo da escuridão, converse bastante antes pra não traumatizar a criança.

Ao final do percurso há uma subida pelas pedras pra sair da gruta. Cansa um pouco, mas lá em cima estrategicamente há uma barraca com água de coco para revigorar.

Recuperados da caminhada seguimos para o melhor (na minha opinião) do passeio. O Morro do Pai Inácio. Estava super ansiosa para conhecer tão famoso morro.

Mais uma caminhada pelas pedras e dá-lhe subida! Vi crianças bem menores, na faixa dos 4 anos, subindo a trilha. E até pais com crianças no colo.

Pausa pra recuperar a energia
Pausa pra recuperar a energia

Chegando lá em cima, fiquei muda. A visão é SUPER INCRÍVEL! Senti uma emoção que sei lá… Melhor você ir pra sentir também.

Que emoção!
Que emoção!

Exploramos cada cantinho lá de cima. Conhecemos de todos os ângulos. É maravilhoso demais!

IMG_5084

Em determinados horários surge um rapaz que conta a lenda do local. É bem divertido e cada um dá a colaboração que desejar. Ah, com crianças menores eu aconselho segurar bem na mão, pois há risco de queda.

Repare no coração de pedra
Repare no coração de pedra

Retornamos para Lençóis depois de um dia único, inesquecível! Um belo presente pra pequena aniversariante e com certeza pra todos que foram.

É uma pena que só tivemos 1 dia para a cidade, mas deu pra conhecer o que realmente queríamos. Nós compramos o roteiro personalizado. Eu que escolhi os passeios que queria e eles montaram a ordem. Todos os ingressos e almoço estavam inclusos. Achei que valeu muito a pena, principalmente o fato de que teríamos apenas um único dia para ser aproveitado ao máximo.

Chapada, nos veremos em breve…

Veja a viagem em vídeo.

Siga nossas redes sociais

Facebook

Instagram – @vidadeviajete

Tem alguma pergunta? Sugestão? Deixe seu comentário!

Insira o seu e-mail e receba todas as nossas dicas!

 

Post Author: vidadeviajete

Deixe um comentário pra gente!