Delta do Parnaíba – Um passeio mágico e encantador

Quando comecei a planejar a minha viagem pela Rota das Emoções, eu tinha certeza de que o Delta do Parnaíba não ficaria de fora.

Muita gente acaba optando por pular o Delta por achar que não irá falta, mas irá sim. Te garanto!

Pra quem não sabe, o Delta é um tipo de foz, que é o encontro do rio com o mar. Chama-se Delta por conta do formato da letra grega ao contrário. Ele se localiza entre os estados de Maranhão e Piauí.

O Delta do Parnaíba é o único das Américas e por isso é conhecido também como Delta das Américas. Seu formato é como uma mão aberta, onde os dedos representam as ilhas formando um fenômeno raro, onde há um verdadeiro santuário ecológico. Só há mais dois tipos de delta de mar no mundo, o Rio Nilo, na África e o Me Kong, no Vietnã.

Onde ficar?

Apesar do nome ser Delta do Parnaíba, ele não fica no município de Parnaíba e sim no município de Ilha Grande a 8 minutos do centro de Parnaíba. Como Parnaíba é a porta de entrada e o local com mais infraestrutura, é a cidade mais indicada.

Nós ficamos na Pousada Vila Parnaíba, pois ela fica próxima ao Centro e em local com fácil acesso ao Porto dos Tatus, que é de onde saem as embarcações. Além do mais, a própria pousada possui a agência Clip Turismo, que foi quem nos conduziu pelo Delta.

Algumas pessoas optam por ficar em Barra Grande, mas a cidade fica a aproximadamente 1h30m de distância do Porto.

Tipos de Passeio:

A Clip Turismo oferece vários tipos de passeio pelo Delta. Nós escolhemos fazer o Delta Tradicional privativo em lancha voadeira. Escolhemos esse passeio, pois como só tínhamos 1 dia para conhecer o Delta, eu queria ver tudo nos mínimos detalhes.

A Clip também oferece o passeio no Catamarã Mateus Portela. Nele cabem várias pessoas e é bem animado. O legal desse barco é que o almoço está incluso no pacote (lanche de frutas, almoço e casquinha de caranguejo) e há música tocando o tempo todo.

Catamarã Mateus Portela

Veja as outras opções aqui.

O passeio:

Nosso passeio se iniciou por volta das 11h30m. Um pouco tarde, mas como fizemos o privativo isso não fez muita diferença. Foi até bom porque assim podemos ir até o Centro conhecer um pouco.

Iniciamos o passeio no Porto dos Tatus, que é de onde saem os barcos. O guia Márcio estava nos esperando no horário marcado.

Nossa voadeira

Ele nos explicou como seria o passeio e antes de embarcarmos, nos levou até um mercadinho para comprarmos bebidas e algo para comer. O legal é que o mercado empresta um isopor e fornece o gelo para usarmos durante o passeio. Sem nenhum custo, na base mesmo da confiança.

A minha dica aqui é que você realmente compre algo para beber, pois o passeio é longo e você precisa se hidratar.

Iniciamos o passeio lentamente e o Márcio ia nos mostrando a vegetação, caranguejos, peixes, pássaros e até macacos da região. Passamos por Igarapés e áreas de mangue.

Em uma região de mangue, Márcio perguntou se queríamos ter a experiência de pegar um caranguejo e é claro que aceitamos. Quer dizer, o Davidson aceitou. Eu não tentei, pois a tradição da região é que somente o homem pode pegar o caranguejo. Então eu respeitei, né? Rsrs

No final das contas, o Davidson não conseguiu pegar o caranguejo. Tá pensando que é fácil? É necessário bastante técnica e somente Márcio domina essa arte. Rsrs

Ele até que tentou…
...mas somente Márcio tinha habilidade. rsrs
…mas somente Márcio tinha habilidade. rsrs

A Camille também não pode pegar, mas adorou a experiência de poder pisar no mangue. Foi bem divertido.

A sensação é ótima!

Vimos também, muitos caranguejos vermelhos que contrastando com a cor do mangue parecia um desenho. Ah, o Márcio nos contou que o pássaro Guará é vermelho porque se alimenta desses caranguejos.

Caranguejos Vermelhos

O contato com a natureza é intenso e grande parte do passeio é feito pelo rio. Navegando lentamente e conhecendo a história da região.

Encontramos muitos pescadores pela região

Chegamos então na foz do Rio Parnaíba, onde há o encontro do rio com o mar. O local é conhecido como Ilha dos Poldros e muita gente aproveita essa parada para um banho de rio ou de mar. O lugar é tão lindo e tão interessante que eu só tive vontade de ficar admirando. É nítida a separação do rio e do mar, pois forma-se uma espécie de linha entre os dois e as cores não se misturam. Forma-se até uma pororoca. É incrível ver que o mar tenta entrar no rio e o rio com toda a sua força, não deixa.

Curiosidade: A Ilha dos Poldros não fica no estado do Piauí, mas sim no Maranhão. Na verdade somente 35% do Delta do Parnaíba que faz parte do Piauí, os outros 65% pertencem ao Maranhão.

O Rio
O Mar

Parece mágica

Na Ilha, nós paramos para fotos e havia passeio de quadriciclo opcional. E apesar de não ser caro (R$30,00), eu não gostei. O guia do quadriciclo vai pendurado junto. Não vi necessidade nisso, pois o caminho para andar é super curto. Em Barreirinhas o caminho é bem longo e ninguém vai “pendurado” em você.

Tirei essa foto só pra constar :/

Logo após a contemplação da Foz, fizemos a nossa parada para almoço na Ilha das Canárias. Somente a título de curiosidade, a Ilha das Canárias é a segunda maior ilha do Delta, perdendo apenas para Ilha Grande e possui cerca de 2.500 habitantes. Pra quem gosta de sossego, é uma opção de hospedagem na região.

Reserve aqui seu hotel em Parnaíba.

Almoçamos no Restaurante do Caboclo, que funciona também como pousada. A comida estava deliciosa e o preço foi de acordo. Pedimos um prato pra dois e nós três comemos super bem.

O local é lindo e há um mirante e uma espécie de “lounge” para descanso pós almoço. Perfeito para relaxar.

Super convidativo para uma soneca
Vista do Mirante
Ilha das Canárias

Após o descanso do almoço, seguimos de volta para o Porto dos Tatus e no caminho paramos nas Dunas do Morro Branco. Essa parada costuma ser na ida, mas optamos por parar na volta porque quando passamos por lá estava muito cheio. Sorte a nossa, as Dunas ficaram “exclusivas”. Seria também a hora do por do sol, mas o tempo estava meio estranho e não deu pra ver.

Dunas do Morro Branco
Um calango “perdido”
Só pra gente!

Retornamos ao Porto dos Tatus com a certeza de que precisamos voltar a esse paraíso para fazer os outros roteiros da região. Super indicamos para todas as idades e para pessoas que curtem essa interação de paz com a natureza.

O que levar?

  • Repelente;
  • Protetor Solar;
  • Óculos Escuro;
  • Chapéu (somente se for de amarrar pra não voar);
  • Dinheiro (muito lugares não aceitam cartão ou perdem o sinal);
  • Câmera fotográfica.

Quem faz o passeio?

A Clip Turismo oferece vários tipos de passeio pelo Delta, inclusive o de Catamarã que inclui almoço e música ao vivo. A voadeira privativa custa R$300,00 e o Catamarã custa R$60,00 por pessoa.

Leia todos os posts sobre a Rota das Emoções.

Rio Parnaíba

Reserve aqui seu hotel em Parnaíba.

*Agradecemos a Clip Turismo pelo desconto concedido, porém as avaliações são dadas de acordo com a nossa experiência pessoal.

Gostou dessa dica? Insira seu e-mail abaixo e receba novidades em primeira mão.

Post Author: vidadeviajete

Deixe um comentário pra gente!