Atravessando fronteiras

Foram 6.585 km percorridos em 19 dias de viagem. O ponto de partida foi o Rio de Janeiro e o objetivo era cortar o Uruguai e chegar em Buenos Aires.

Nosso roteiro ficou assim:

Tentei reproduzir da melhor forma :)
Tentei reproduzir da melhor forma 🙂

A ordem exata da viagem foi:

  1. Rio – São Paulo;
  2. São Paulo – Florianópolis;
  3. Florianópolis – Porto Alegre;
  4. Porto Alegre – Punta del Este;;
  5. Punta del Este – Buenos Aires;
  6. Buenos Aires – Uruguaiana;
  7. Uruguaiana – Foz do Iguaçu;
  8. Foz do Iguaçu – Curitiba
  9. Curitiba – São Paulo;
  10. São Paulo – Rio de Janeiro.

Em uma viagem de carro é importante definir cidades bases para fazer os passeios ao redor e intercalar dias de cidade só para pernoite e dia de cidades com passeios, acho que dessa forma a viagem ganha ritmo e fica menos cansativa.

Nossa primeira parada para dormir foi São Paulo porque como saí do trabalho direto pra viagem (sou dessas) preferi não ir até mais na frente. Nossa preferência é sempre pegar a estrada de dia e por isso fomos somente até São Paulo.

No dia seguinte acordamos cedo e seguimos até Florianópolis. Como já conhecíamos a cidade decidimos somente parar para dormir e seguir rumo a Porto Alegre no dia seguinte. Nos hospedamos no Ibis Florianópolis que fica bem no centro da cidade.

IMG_2749
Divisa dos estados

Chegando em Porto Alegre e decidimos passar duas noites. Queria ter um dia inteiro para conhecer melhor a cidade, já que a primeira experiência não havia sido muito boa. Nos hospedamos no recém inaugurado Ibis Budget Porto Alegre, que atendeu muito bem as minhas expectativas.

Vou dar minha opinião sobre a condição das estradas até aqui:

Do Rio até Curitiba viemos pela BR-116. A estrada está em ótimas condições e super bem sinalizada. Alguns trechos a partir de Registro – SP estão em obras e as vezes o trânsito fica lento por conta de siga e pare. Mas nada que aborreça. São melhorias para a rodovia.

É importante atenção principalmente na Barra do Turvo e Serra do Cafezal. O trânsito de caminhões em alguns horários é intenso e muitos tombam pelo caminho devido as curvas em declive. Há muitos radares pela estrada e é muito importante respeitá-los.

De Curitiba até Porto Alegre viemos pela BR-101 e ao contrário do sentido norte, ela é excelente e bem sinalizada.

De Porto Alegre até o Chuí voltamos para a BR-116. A estrada é boa, mas não tanto quanto o primeiro trecho. Mas em compensação o trânsito de caminhões é bem menor. E o de carros também. Em algumas partes andamos muitos quilômetros sem ver nenhum carro.

Ah, cortamos a reserva Ecológica do Taim. Uma experiência incrível. Só tome cuidado com os inúmeros animais que atravessam a pista. Muitos são atropelados pela imprudência dos motoristas. É bom respeitar os limites de velocidade.

Muitas Capivaras
Muitas Capivaras

#Ficaadica para você não deixar NUNCA o combustível baixar para menos de meio tanque. Em muitas partes a distância entre postos de gasolina é enorme. Já pegamos trechos de 100km sem nenhum posto. Não marque bobeira!

Saímos de Porto Alegre e decidimos ir direto para Punta del Este, no Uruguai. Me arrependi um pouco disso e se fizesse outra viagem dessas certamente passaria uma noite no Chuí ou em Pelotas.

São somente 740km, mas a estrada é bem cansativa. Principalmente se você fizer uma parada no Chuí para conhecer os inúmeros Free Shoppings que há por lá. E vale à pena.

IMG_2820
Fronteira

Atravessando a Fronteira:

A travessia entre os dois países é super tranquila. Ainda no lado do Brasil há um posto da Polícia Federal. Acho que eles só param as pessoas na volta porque na ida não tinha nenhuma barreira.

Para entrar no Uruguai estacionamos o Fugêncio na aduana e  processo foi super simples. Foi solicitado os seguintes documentos:

  • Carta Verde;
  • Documento do Carro;
  • Identidade;
  • E preenchemos um formulário.

Não fizeram nenhuma pergunta e nem fiscalizaram o nosso carro. Acho que isso é aleatório, pois estavam revistando alguns. Recebemos um papel de autorização de entrada no país e seguimos em frente. Super tranquilo.

Aduana
Aduana

Da fronteira até Punta del Este foram 3 horas de estrada. Estrada boa em linha reta, mas muitoooo cansativa. A paisagem não muda, não há fluxo de caminhões e nem de muito carro. É uma estrada que dá sono facilmente ao motorista.

Atenção a posto de gasolina aqui também: a distância entre eles é muito grande, então cuidado para não ficar sem combustível.

Fizemos Punta del Este a nossa cidade base. A maioria das pessoas fazem Montevidéu como base, mas eu preferi ficar em Punta mesmo.

GEDSC DIGITAL CAMERA
Los Dedos

Conhecemos Punta e fizemos bate-volta para Montevidéu. É um pouco cansativo mas vale a pena. Só me arrependi um pouco, pois deveria ter dedicado umas 2 noites na capital uruguaia.

No dia de ir para Buenos Aires, fomos bem cedo para Colônia del Sacramento. Deu tempo de conhecer a cidade, que é bem pequena, e no final da tarde embarcamos no ferryboat da empresa Buquebus. Valeu muito a pena atravessar no ferry. Nós pagamos $7.065 (pesos uruguaios), o equivalente a R$ 680,00 (em 2014). Achei o preço ok. Foram 3 adultos, 1 criança e o carro.

Há procedimentos de imigração também. Entregamos o papel que recebemos na entrada do Uruguai e recebemos a autorização para entrar na Argentina. Foi tudo rápido também e apresentamos somente os documentos básicos (RG e documento do carro).

Autorização
Autorização

Somente quem está dirigindo é que leva o carro até a budega (garagem). Os outros passageiros entram direto no ferryboat. Não há lugar marcado nas poltronas, pode sentar onde quiser (com exceção do piso superior, onde fica a 1º classe).

Fugêncio na Budega
Fugêncio na Budega

A travessia é rápida. Dura somente 1 hora. O ferry não balança e foi uma delícia atravessar o Rio da Prata rumo a Buenos Aires. No ferry há lanchonete e free shopping, que só abre depois que sai do porto.

Free Shopping
Free Shopping

Chegamos em Buenos Aires e os policiais solicitaram a carta verde, documento do carro e dos passageiros. Tranquilo.

Levei meu GPS daqui do Brasil e aluguei o mapa da Argentina por 30 dias. Funcionou super bem. Só que é importante prestar atenção, pois em Buenos Aires existem várias ruas com o mesmo nome em bairros diferentes. Como eu não sabia disso, coloquei o endereço e o tracei a rota. Conclusão: fomos parar no bairro errado… hehe! Só reparei nisso depois de ter andado uns 30km. Ok, lerdeza minha. Já havia visto no Google Mapas que o apartamento que aluguei ficava a mais ou menos 10km do porto.

Decidimos deixar o carro parado e conhecer Buenos Aires com o Bus Turístico (neste post aqui).

Só pegamos o carro mesmo no dia em que fomos para o Lujan. É fácil dirigir em Buenos Aires. A cidade é bem sinalizada, só que o trânsito é bem movimentado. Não tão parado quanto São Paulo, se assemelha um pouco ao trânsito do Rio de Janeiro.

De Buenos Aires, iniciamos nosso retorno para o Brasil. Em todo o trajeto a estrada foi muito boa. Cortamos várias pequenas cidades da Argentina até chegar em Uruguaiana, cidade onde escolhemos passar a noite. Ficamos no hotel Monte Carlo. É simples, porém confortável e com ótimo atendimento. Uma boa opção para pernoitar.

Fronteira
Fronteira

Vale lembrar que quando entramos em Uruguaiana, fizemos todo o processo de passar pela aduana de novo. E ao sair de Uruguaiana, fizemos mais uma vez, pois escolhemos ir para Foz do Iguaçu pelas estradas da Argentina.

Aduana
Aduana

 O caminho até Foz foi super tranquilo, mais uma vez o bônus para as boas estradas argentinas. Ficamos em Foz por 3 dias e de lá fomos até as Cataratas lado Argentino, no Cassino de Puerto Iguazú, no Free Shopping, Itapú, Cataratas Brasileiras, Parque das Aves e no Paraguai. Pro Paraguai fomos de transfer, pois não confio em passar pela Ponte da Amizade com o Fugêncio.

Boas estradas argentinas
Boas estradas argentinas

De Foz do Iguaçu, fomos até Curitiba e fizemos base lá para irmos a Morretes de trem.

E aí iniciamos o retorno para casa e só paramos em São Paulo para dormir e seguimos até o Rio de Janeiro.

Gastos com pedágio e gasolina:

  • Gasolina: R$ 1.700,00
  • Pedágio: R$ 240,00

*Valores referentes à julho/2014

Polícia camineira:

Não tivemos nenhum problema com os policiais argentinos. Passamos em várias blitz e fomos parados somente em uma. O policial solicitou nossos documentos, o documento do carro e a carta verde. Fomos liberados em 2 minutos. Não nos foi solicitado os acessórios obrigatórios.

Acho que valeu muito a experiência de ir para outro país de carro. A liberdade de fazer as coisas no seu tempo, escolher onde vai parar, mudar o trajeto… isso não tem preço.

Gostou? Deixa seu comentário aqui pra gente!

Insira o seu e-mail e receba todas as nossas dicas!

 

Post Author: vidadeviajete

22 thoughts on “Atravessando fronteiras

    […] Atravessando fronteiras […]

    […] Atravessando fronteiras […]

    Conceição. Pugliese

    (2 de junho de 2015 - 02:46)

    Admiro seu espírito aventureiro, dá até vontade de reproduzir sua proeza!

    Tati Rosa Domingues

    (21 de outubro de 2015 - 20:06)

    Natália, que coragem! Eu queria tanto ter esta disposição! Eu não aguento dirigir muito, começa a me bater um tédio……. Mas achei seu post maravilhoso, deve ser super bem divulgado para quem ama viajar de carro porque está bem explicado e detalhado. Parabéns! Tati

      vidadeviajete

      (21 de outubro de 2015 - 20:20)

      O mérito é todo do meu esposo, ele dirigiu sozinho. Eu dou as ideias malucas e ele apoia. kkkk

    Maria Aqui e Ali

    (21 de outubro de 2015 - 21:32)

    Natalia, adoro suas aventuras!!! E acho uma delicia a liberdade de viajar de carro…. Adorei o roteiro. Bjs

      vidadeviajete

      (22 de outubro de 2015 - 08:49)

      É muito bom mesmo. Obrigada!

    Mae Dondoca

    (21 de outubro de 2015 - 21:43)

    Que coragem! Nunca pensei em conhecer Punta de carro! Nem de ir a Buenos Aires sobre rodas!!! Belas dicas de rotas e pernoites! Se um dia animar mesmo, já sei que é possível e por onde ir!!!

      vidadeviajete

      (22 de outubro de 2015 - 08:49)

      De carro fica tudo mais gostoso…Rsrs

    Poliana

    (22 de outubro de 2015 - 07:21)

    Uau que viagem mais legal! Tantas vezes ensaiei uma dessas e sempre amarelei! hahahah tão eu!
    Parabéns! abraços

      vidadeviajete

      (22 de outubro de 2015 - 08:48)

      Não desiste não! Vc não vai se arrepender…

    Liliane

    (22 de outubro de 2015 - 10:55)

    Que delícia de viagem !! adoraria me aventurar nesse estilo, mas para isso o marido tinha que curtir também (oq não é o caso snif snif).
    Beijocas
    Li
    http://www.criandofilhospelomundo.com/

      vidadeviajete

      (22 de outubro de 2015 - 15:56)

      Faz igual a minha filha disse: “Se meu marido não gostar de viajar de carro, vou dar um tarja preta a ele. Quando ele acordar, chegamos!”
      kkkk Crianças são incríveis.

    figueiredoalineb

    (22 de outubro de 2015 - 13:27)

    Quero muito fazer uma viagem de carro assim! Adorei o post: tudo explicadinho! Um verdadeiro guia pra quem quiser fazer o mesmo! Beijos

      vidadeviajete

      (22 de outubro de 2015 - 15:54)

      Que bom que gostou. Bjs!

    Guaciara

    (24 de outubro de 2015 - 00:47)

    Adorei! Eu babo em viagens de carro, mas acredita que meu marido detesta? Acha perigoso e etc, mas eu adoro! Eu não entendi o que é a carta verde, me explica? Aqui adoramos Buenos Aires e desde a adolescência tenho vontade de ir pra lá de ônibus (hoje de carro), quem sabe um dia convenço alguém de casa a ir comigo, hahah! Bjs!

      vidadeviajete

      (24 de outubro de 2015 - 19:57)

      Carta Verde é o seguro obrigatório que temos que fazer para visitar Argentina, Uruguai e Paraguai.
      Se precisar de companhia, estamos juntas! haha
      Bjs!

    Marcella Marinho

    (10 de fevereiro de 2016 - 21:18)

    Quantos dias durou a sua viagem?
    Eu sei que pode parecer loucura, mas sou do Rio, meu marido é taxista e meu filho tem três anos… Sou louca para fazer uma viagem dessas, gosto de conhecer vários lugares! Estou começando a planejar uma viagem para junho… Você poderia me ajudar? Pode me mandar seu WhatsApp?

    Beijos e adorei o seu Blog!!!

    Parabéns e sucesso nas próximas viagens!

      vidadeviajete

      (10 de fevereiro de 2016 - 21:25)

      Olá Marcella, tudo bem?
      Essa viagem durou 19 dias. Não é loucura querer ir com uma criança de 3 anos. Isso é até bem legal porque ele vai conhecer culturas e outras coisas diferentes.
      Não uso o Whatzapp, mas você pode me adicionar no Facebook. Estou como Natália Ferrer (tem que escrever com acento para achar).
      Beijos!

    Fernanda Rosa

    (9 de novembro de 2016 - 08:47)

    Oi, pretendemos fazer essa viagem tbém! Adorei seu relato!
    Sairemos de Bh até Curitiba, ainda não decidimos se iremos primeiro para Foz ou Uruguai! A estrada para Sul é tranquila…?

      vidadeviajete

      (19 de novembro de 2016 - 10:15)

      Oi Fernanda!

      A estrada pro Sul é maravilhosa. Considero uma das melhores do Brasil.

      Eu prefiro ir pro Uruguai primeiro e voltar por Foz do Iguaçu.

      Beijos!

Deixe um comentário pra gente!