Um dia em Visconde de Mauá, Maringá e Maromba

Já é de conhecimento de vocês que adoro pegar o carro e sair por aí explorando os mais diversos cantinhos do estado do Rio de Janeiro. Geralmente eu acordo, olho o tempo e decido se vou ou não.

Dessa vez não foi diferente! Eu tenho um “mapa mental” e sei quais as regiões que eu posso ir e voltar no mesmo dia. Então acordei, olhei a janela e disse: Vamos para Visconde de Mauá!

Visconde de Mauá fica no eixo Rio-São Paulo a mais ou menos 220km do Rio de Janeiro e pertence a 2 estados e 3 cidades – Itatiaia (RJ), Resende (RJ) e Bocaina de Minas (MG).

A região é composta por 3 vilas: Visconde de Mauá, Maromba e Maringá. Essa última tem 2 lados, o mineiro e o carioca.

Chegamos em Visconde de Mauá por volta das 10 da manhã e paramos no centro de informações turísticas que fica logo na entrada. Eu não havia planejado nada, pesquisado nada. Então não tinha a mínima ideia do que eu ia conhecer e o que a região oferecia de atrativos.

Centro de Informações Turísticas
Centro de Informações Turísticas
Centro de Informações Turísticas

Ao entregar o mapa, a atendente logo disse para irmos até a vila de Maromba direto para conhecer as cachoeiras e depois voltar parando nas outras vilas.

Mapa da região
Mapa da região

Não pensamos duas vezes e seguimos a dica dela. Seguimos até Maromba e não tem erro! É tudo sinalizado e a vila acaba exatamente na Cachoeira do Escorrega. Paramos no único estacionamento da vila que cobra o preço único de R$10,00.

A Cachoeira do Escorrega, como o próprio nome diz, é para escorregar e se divertir! Claro que eu não tive coragem, mas me diverti vendo a galera descer inúmeras vezes por ali.

Cachoeira do Escorrega
Cachoeira do Escorrega
A galera se joga mesmo!
A galera se joga mesmo!

Perto da Cachoeira há 2 restaurantes, comércio e agências de passeios. Tudo no estilo hippie que essa vila tem. Mas é tudo bem pequeno, ok?

Maromba
Maromba

De lá começamos a fazer o caminho de volta para conhecer as outras coisas e seguimos até o Poção da Maromba. O Poço tem 7 metros de profundidade e há uma pedra onde os corajosos podem pular e se jogar naquela água mega convidativa. Se você não tem coragem, como eu, saiba que pode tomar banho próximo das pedras ou nadar até a parte menos funda.

Entrada do Poço
Entrada do Poço
Poço da Maromba
Poço da Maromba
Poço da Maromba
Poço da Maromba

Depois do Poço seguimos em direção a Vila de Maringá para almoço. Deixamos o carro em Maringá do lado de Minas e atravessamos para a parte Rio. A Camille adorou essa coisa de ir do Rio a Minas em questão de segundos. rsrs

Essa ponte separa os dois estados
Essa ponte separa os dois estados
Maringá
Maringá

Na Vila de Maringá há várias opções de restaurante para almoço. A maioria serve o mesmo estilo de refeição – picanha, truta, frango grelhado e semelhantes. De diferente, os restaurantes de fondue que só abrem a noite. Pode ser que tenham outros tipos de refeição, mas eu estava com tanta fome que nem reparei – e também não me atentei ao nome do restaurante que almoçamos. Sorry!

Cantina Italiana
Cantina Italiana

Aproveitamos e conhecemos a Vila de Maringá. Ela é bem pequena e a única coisa pra fazer é ir nas lojinhas e curtir o clima calmo da cidade.

Como não sou de ferro, entramos para tomar um café em uma lojinha super fofa e saímos cheios de doces. Não tem como resistir!

Só gordice!
Só gordice!

Voltamos para Maringá parte de Minas, que é bem menor do que a parte Rio e fizemos a mesma coisa. Caminhamos calmamente curtindo o clima do lugar. E claro, paramos em uma chocolateria para mais gordices.

Chocolateria
Chocolateria
Das fofuras que encontramos em Maringá
Das fofuras que encontramos em Maringá

Saímos de Maringá e fomos conhecer a vila de Visconde de Mauá. Ela é bem pequena e realmente a atendente lá do início tinha razão – As coisas acontecem em Maringá.

A Vila de Visconde de Mauá também é uma graça

Eu adorei fazer esse passeio e acho que é válido fazer no esquema bate e volta, caso não tenha pretensão de se hospedar. As Vilas são pequenas e dá pra passar um dia em Visconde de Mauá, Maringá e Maromba e conhecer as 3 com calma em um só dia.

Claro que se a sua intenção é conhecer várias cachoeiras, o ideal é pernoitar em alguma das vilas para aproveitar melhor. Como a nossa ideia era somente conhecer as 2 cachoeiras principais e as Vilas, foi super satisfatório.

Ah, a estrada pra lá é tranquila e asfaltada até Visconde de Mauá. Depois alguns trechos são asfaltados e outros não, mas dá pra seguir tranquilo de carro baixo. Apenas a serra que começa depois de Penedo e vai até Visconde de Mauá é um pouco sinuosa. Mas nada que atenção e cuidado não resolva.

Muita neblina na serra

E agora estou com um gostinho de quero mais e pretendo pernoitar na cidade da próxima vez para aproveitar melhor a região.

Gostou dessa dica? Insira seu e-mail abaixo e receba novidades em primeira mão.

 

Post Author: vidadeviajete

2 thoughts on “Um dia em Visconde de Mauá, Maringá e Maromba

    felipe

    (30 de novembro de 2015 - 10:41)

    to adorando ler seu blog ele esta sendo de espiração pra mim…
    vc sabe se tem algum camping nessa regiao ou se as pousadas sao muito caras???

      vidadeviajete

      (30 de novembro de 2015 - 13:15)

      Olá Felipe! Fico muito feliz que esteja gostando! Há sim muitos campings na região, principalmente em Maromba. Tem pousada para todos os bolsos também, das mais baratas até as luxuosas caras.
      Abs!

Deixe um comentário pra gente!