Viagem de Carro do Rio à Bahia

Em dezembro de 2014 resolvemos fazer uma viagem de carro do Rio a Bahia, o que eu não imaginava é que faria tantas modificações no roteiro e passaria alguns perrengues.

A ideia era ir até Salvador pelo litoral e voltar intercalando as cidades que não paramos na ida. A princípio o nosso roteiro seria Rio-Vitória-Ilhéus-Salvador-Porto Seguro-Guarapari-Rio.

Teríamos que passar o réveillon em Ilhéus, mas não havia quase nada disponível e o que tinha o preço era tão exorbitante que logo desisti dessa cidade. Pensei em Itacaré e também nada. Prado, nada. Até em Itabuna pensei em algo, e nada! Já estava batendo o desespero, pois a data se aproximava e eu não tinha decidido absolutamente nada!

Mas eu sou inquieta e fiquei dias olhando para o mapa do Brasil e fiz várias combinações de rotas. Até que comecei a cogitar a ideia de ir “por dentro”. Peguei um mapa de papel gigante que tenho aqui – sim, sou dessas que tem mapa de papel haha – e fiquei olhando… olhando… olhando… Até que vi um ponto no mapa escrito “Parque Nacional da Chapada Diamantina”. Opa! Que lugar é esse? Já ouvi falar, mas o que tem lá? Corri para o Google e na primeira foto que apareceu eu decidi. É por lá que eu vou.

O tempo era curto, sairíamos do Rio no dia 30 de dezembro e eu não tinha nem reserva de hotel e também não daria tempo de chegar pro réveillon na Chapada. E começou a saga novamente.

Mas o bichinho já estava em mim e eu queria ir pra Chapada de qualquer jeito! Então decidi! Saímos do Rio no dia 30, dormimos em Belo Horizonte e no dia 31 passamos a virada em Janaúba. Oi? Onde é isso? Mora gente lá? Haha.

Resumindo a primeira parte: só dormimos mesmo em BH. Nos hospedamos no Adagio Minas Centro, que por sinal me surpreendi com o tamanho. Tinha 2 quartos, sala, cozinha, 2 banheiros e até uma varanda. Confesso que deu vontade de ficar mais. O hotel era super confortável. Ah, ficamos hospedados lá porque estávamos com meu tio e pegamos uma tarifa super baixa pra 4 pessoas – R$110,00.

De BH fomos para a tal Janaúba. Janaúba é a 2ª cidade mais populosa do norte de Minas Gerais quase divisa com a Bahia. Fica depois de Montes Claros a 550km de Belo Horizonte. A estrada é boa e chegamos lá com o dia ainda claro. A cidade é bem tranquila e é bem desenvolvida, principalmente no setor de educação, e não é roça como eu imaginei. Rsrs. Ficamos no União Palace Hotel que fica na avenida principal da cidade.

A cidade não tem atrativos para o réveillon a não ser uma festa jovem que acontece na pedreira com direito a open bar e muita farra. Não é a minha praia. Por sorte, descobrimos o único restaurante da cidade que estaria aberto e fomos jantar. A cidade é tão barata que pagamos apenas R$100,00 pelo churrasco misto super farto para 4 pessoas acompanhado dos refrigerantes. Quando deu meia noite uns 3 rapazes abriram a mala do carro, colocaram uma mensagem de paz e soltaram meia dúzia de fogos com umas 15 pessoas que estavam no restaurante. Foi legal, engraçado e diferente. Rsrs

Até que foi divertido

No dia 1º de janeiro saímos cedo de Janaúba, vantagem pra quem não curte farra! Estávamos cheio de disposição e ansiosos para chegar no próximo destino – A Chapada Diamantina!

Não foi fácil chegar e o caminho foi o nosso primeiro perrengue. Antes de qualquer viagem de carro eu olho o Google mapas, o GPS e até meu mapa de papel. O Google mapas e o GPS me davam o mesmo caminho. Conferi o mapa de papel e estava tudo ok. BR-122 toda vida até sair na cidade de Caetité.

Chegamos em um trecho da rodovia em que o asfalto acabou (e isso eu não pesquisei previamente). Era chão batido daqueles com costela de dinossauro. Demos a ré e fomos pedir informação, pois esse tipo de estrada não estava nos nossos planos. O frentista do posto disse que estava correto, que poderíamos seguir por ali. Seriam 70km de chão batido, mas era seguro e chegaríamos no nosso destino. Ou voltaríamos cerca de 100km pra ir pelo outro caminho, a BA-573. Até hoje me pergunto porque não voltamos!

Trecho de geração de energia eólica

Foram os 70km mais longos de nossas vidas. O carro não passava de 30km, quando chegávamos a 50km nos sentíamos pilotos. Eram pedras, pedregulhos, buracos, costelas… Foi um caminho percorrido em 1h30m. Muita coisa pra 70km. Sem contar que não tinha nada na estrada a não ser casa de moradores bem remotas. Estava um calor de matar e tudo muito seco. E se a água acabasse? E se fura o carro por baixo? E se rasgar o pneu? Eram tantas coisas na nossa cabeça… A gente tentava relaxar ouvindo música, conversando e rindo da própria desgraça. Mas o caminho parecia não ter fim e foi inevitável o mau humor instalado nos 4 integrantes da viagem.

No início da estrada até que estava "considerável"
O início da estrada até que estava “considerável”

Quando chegamos ao final dos 70km sentimos alívio! Deu tudo certo, o carro estava inteiro, mas nosso psicológico já tinha ido por água abaixo. Estávamos exaustos, com fome e imundos de poeira vermelha.

Até que tinha alguns trechos com paisagem bonita

Dali pra Chapada o caminho foi tranquilo. Chegamos cerca de 3 horas depois do planejado. Mas chegamos bem, graças a Deus!

O mau humor foi embora assim que entramos em Lençóis, cidade que escolhemos na Chapada. Fomos direto pra a casa que alugamos. Ficamos no Village Mirante de Lençóis, que são casas de 3 quartos com cozinha, sala, 3 banheiros. Enorme! Escolhemos ficar por lá pelo preço – em plena temporada a diária saiu por R$300,00 para os 4. Mais barato e confortável do que a maioria dos hotéis. Foi uma ótima escolha e com certeza ficaria lá novamente.

Nossa casa na Chapada
Nossa casa na Chapada

Ficamos na Chapada Diamantina por 2 noites somente. Tiramos 1 dia inteiro para aproveitar os principais atrativos da cidade, que você pode ler nesse post. Ah, o passeio foi feito no dia 2 de janeiro, dia do aniversário de 9 anos da Camille aventureira. Se ela gostou? Amou demais!

Morro do Pai Inácio
Morro do Pai Inácio

Da Chapada Diamantina seguimos por 600km até Aracaju. Como assim, Natália? Rá! Quando eu estava em Belo Horizonte estudando o mapa, vi que Aracaju ficava relativamente próximo à Salvador e não resisti! Precisava ir até lá e conhecer os Cânions do Xingo de brinde. (Eita bichinho inquieto! Kkk).

O Ibis Budget de Aracaju tinha acabado de inaugurar e estava com uma tarifa de somente R$70,00 a diária e ainda por cima fica em frente à Orla de Atalaia. Como resistir? #PartiuAracaju

O caminho até Aracaju foi mega tranquilo. Nada de perrengue! Conseguimos chegar com o dia claro ainda. Ficamos por 3 noites.

Entrando em terras Sergipanas
Entrando em terras Sergipanas

Usamos 1 dia para conhecer Aracaju (post aqui) e renovar as energias. E outro dia fomos conhecer os Cânions do Xingo (post aqui). Se você quiser fazer o passeio para os Cânions por conta própria, saiba que é super tranquilo. A estrada pra lá não é a melhor do mundo e é um choque de realidade passar pelo sertão e vê tantos sem terra e do nada se deparar com um lugar maravilhoso. Mas valeu muitoooo a pena.

Cartão Postal de Aracaju
Cartão Postal de Aracaju
Cânions do Xingó

De Aracaju, o próximo destino foi Salvador. Fomos pela Linha Verde e a estrada é ótima! Mas o bichinho que estava em mim viu uma placa indicando Mangue Seco. Por que não? Pedimos informação no Posto da Polícia Federal e seguimos até a vila. Passamos o dia lá e foi maravilhoso, não me arrependo. Contei tudo nesse post aqui.

Terra de Tieta

Finalmente chegamos em Salvador. Acordamos no dia seguinte e fomos conhecer a cidade, que facilmente é conhecida em 24horas. De Salvador o meu tio voltou pro Rio e continuamos a viagem só nos 3. No dia seguinte choveu, a primeira chuva da viagem. Aproveitamos para ir na lavanderia. Viajar de carro tem isso, é bom lavar as roupas na metade da viagem.

Meus companheiros de Aventura

Mas o bom do Nordeste é o sol que não nos decepcionou e voltou a aparecer logo. Finalizamos o nosso tour pela cidade e voltamos pro hotel. Ah, ficamos no Ibis Rio Vermelho. Super indico!

Tempo às 8h da manhã e depois às 11h. 😉

O dia seguinte foi reservado para conhecer Arembepe e Praia do Forte. Se eu tivesse mais tempo teria ficado uns dias pela Praia do Forte, a vila é linda demais! Me apaixonei! Conhecemos o Projeto Tamar das duas cidades. Você pode ler aqui e aqui.

Fim de tarde na Praia do Forte

De Salvador seguimos para Porto Seguro e aí que começa o nosso próximo perrengue. Esqueci de contar, mas o meu cartão foi cancelado por suspeita de fraude em Salvador. Eles alegaram que o fato de eu usar em várias cidades em espaço curto de tempo foi o motivo e não tinha como reverter. Oi? O dinheiro ficou preso e não teve como eu transferir porque a minha assinatura eletrônica também estava bloqueada. Era pra chorar, né? Confesso que fui lesada em não ter dividido o dinheiro nas outras contas como faço sempre pra evitar esse tipo de situação. Solução: economizar até a última gota. :/

A estrada pra Porto Seguro é tranquila e está em boas condições. A parte ruim é que é mão dupla e isso deixa a viagem um pouco mais longa e cansativa. Chegamos em Porto Seguro sem reserva de hotel. A cidade estava mega cheia! Alta temporada, fim de semana, sol e calor! Como não pensei nisso? Por sorte conseguimos um Hostel em Arraial d’Ajuda para aquela noite. Contei aqui nesse post e o Hostel em si foi mais um mini perrengue. 🙁

Beleza para todos os lados

Como perrengue pouco é bobagem, ainda trocamos de hotel mais 2 vezes em Porto Seguro. Contei tudinho nesse post aqui.

Mas mesmo com os perrengues e com o dinheiro contadinho, nós amamos Porto Seguro e Arraial d’Ajuda.

Nem só de praia vive Porto 😉

De Porto Seguro a ideia era seguir direto pro Rio de Janeiro. Saímos bem cedinho e surpresa! Mais perrengue! Davidson teve uma forte dor de barriga e estava colocando tudo pra fora. Resultado: paramos inúmeras vezes na estrada e por isso optamos por dormir em Guarapari. Nós temos uma meta de não dirigir à noite e sempre paramos quando o sol vai embora. Foi o melhor que fizemos naquele momento.

Um dos muitos pores do sol que vimos na estrada

Mas…o carma do perrengue estava perseguindo a gente. Naquela noite só havia um hotel disponível na cidade. Eu conheço bem Guarapari e vi que ele era muito bem localizado e pelas fotos parecia ser ok! #SQN! Ele até é super bem localizado, mas sabe o “balança mas não cai”? Pois é! Parecia isso! Mas não tinha jeito! Nos trancamos e dormimos por ali mesmo. Estávamos exaustos e naquele momento só queria que o Rio de Janeiro chegasse logo!

No dia seguinte despencamos da cama logo cedo e até dispensamos o café do “hotel”. Comemos pela estrada mesmo.

Mas mesmo com todos os perrengues, o nosso extinto aventureiro e com a missão de ajudar ao próximo falou mais alto e demos carona na estrada. Pode chamar a gente de doido! Mas o policial (sim, você leu isso mesmo) pediu carona e nós demos. Só depois que o cara sentou que percebemos que tínhamos dado carona pra uma pessoa armada! E se ele não fosse um policial de verdade? Aff… A M já estava feita! Graças a Nossa Senhora dos Viajantes, deu tudo certo! O senhor policial era uma pessoa honesta e nos explicou que todo dia ele faz aquilo, pois mora em Campos e trabalha no Espírito Santo (não lembro a cidade). O ônibus que ele precisa pegar só passa 2 vezes ao dia e o horário é totalmente distante da hora que ele sai do plantão. E que o mesmo risco que a gente corre, ele corre. Porque imagina pegar uma carona com gente do mal? Ele nos agradeceu imensamente pela carona e foi embora. Sei que foi loucura, mas tive sensação boa, nós gostamos de fazer bem ao próximo e essa não foi a primeira nem última vez em que demos carona pra um desconhecido. Claro que não paramos pra qualquer um e nem em qualquer lugar.

Ah, antes que eu esqueça! A estrada de Porto Seguro até o Rio está em boas condições e há muitas obras de duplicação em vários trechos. Vai ficar muito bom quando estiver concluída.

Fugêncio: a estrela da viagem

E finalmente chegamos na nossa casa. Sã, salvos, cheio de histórias pra contar e muita vontade de voltar!

Mais informações:

  • Percorremos 5.800 km;
  • A viagem durou 17 dias;
  • Gastamos R$1.200,00 de combustível e R$120,00 de pedágio;
  • Em todo o percurso, com exceção do trecho da BR-122, havia postos com infra estrutura necessária para alimentação;
  • Não enfrentamos engarrafamentos e não tivemos nenhum problema com o carro.

Veja aqui todos os posts dessa aventura:

Chapada Diamantina

Aracaju

Cânions do Xingó

Mangue Seco

Salvador

Praia do Forte e Arembepe

Projeto Tamar Praia do Forte

Arraial d’Ajuda

Porto Seguro

Gostou dessa dica? Insira seu e-mail abaixo e receba novidades em primeira mão.

Post Author: vidadeviajete

31 thoughts on “Viagem de Carro do Rio à Bahia

    Guaciara

    (17 de novembro de 2015 - 19:50)

    Adorei! Adoro suas viagens de carro e devoro!

      vidadeviajete

      (17 de novembro de 2015 - 21:11)

      Que bom que gosta! bjs!

    Camila Faria

    (18 de novembro de 2015 - 09:21)

    Natalia, conheço algumas estradas do interior da Bahia devido aos trabalhos de campos que já fiz por lá e sei bem a sensação esquisita que dá da estrada que não tem nada, só poeira, secura total. Que bom que passaram bem por lá rs.
    Tu és mais louca que eu, viaja sem reserva hahahaha e em plena temporada!
    Agora da carona, eu não tenho coragem não… =P

      vidadeviajete

      (18 de novembro de 2015 - 09:24)

      Haha! Essa sem reserva e com criança eu superei! Kkkk A única reserva que a gente tinha era até a Chapada, depois fomos reservando no caminho. E no caso de Porto Seguro foi na coragem mesmo. Kkkk
      A carona é sempre no impulso, Pq se eu for analisar, não dou.
      Bjs!

    Heider

    (11 de fevereiro de 2016 - 14:52)

    Oi Natália, sou o pai da Ana Carolina, amiga da Camille. Faremos uma viagem parecida com a sua em agosto próximo. Bom ver os seus relatos! Grande abraço!!

      vidadeviajete

      (11 de fevereiro de 2016 - 17:29)

      Oi Heider! Que bom que gostou! Faça a viagem sim, vocês vão amar.
      Qualquer coisa pode perguntar. Bjs!

    Rafaele

    (8 de março de 2016 - 13:15)

    Adorei , só uma dúvida, o carro foi abastecido com que? Gás , etanol ou gasolina?

      vidadeviajete

      (8 de março de 2016 - 13:27)

      Ola Rafaele, tudo bem?
      O carro foi abastecido com etanol e gasolina, mas na maioria das vezes, com etanol.
      Abraços.

    Luiza

    (15 de maio de 2016 - 16:08)

    Natalia, Estou planejando esse viagem com meu marido… Você tem ideia dos gastos com alimentação e hospedagem? Queremos deixar o cartao de credito para emergencias e viajar com dinheiro… para isso, precisamos ter uma base!

      vidadeviajete

      (15 de maio de 2016 - 21:13)

      Oi Luiza, tudo bem?
      Como nós fazemos viagens mais econômicas, não gastamos muito com hospedagem. No geral, nós escolhemos hotéis de até R$200,00 a diária. Sempre damos preferência a nos hospedar na Rede Ibis também, onde as diárias dificilmente passam de R$140,00.
      Em relação à alimentação, isso é muito pessoal. Por aqui nós só comemos em self service e não temos o costume de jantar, o que gera uma economia.
      Bjs!

    RENATA CAMPELO SALLES

    (10 de agosto de 2016 - 14:18)

    Eu e meu marido estamos planejando uma viajem de macaé ao nordeste. Ainda estamos vendo quais cidades! PArabens pelo post

      vidadeviajete

      (20 de agosto de 2016 - 12:39)

      Vale muito a pena! Vocês vão adorar! Bjs!

    Marcelo

    (2 de setembro de 2016 - 15:36)

    Oi Natália!

    Pelo que você viu, você indicaria ir de BH à Salvador de ônibus? Ou melhor de avião?

    Obrigado!

      vidadeviajete

      (6 de setembro de 2016 - 19:38)

      Oi Marcelo, tudo bem?
      Isso vai depender muito da sua preferência. De avião vai ser mais rápido, mas de ônibus também não é ruim, visto que q estrada é boa.
      Abraços!

    Renata Jorge do Lago

    (8 de outubro de 2016 - 23:44)

    Olá Natália, eu e meu marido e meus dois filhos 9 e 6 anos vamos viajar para salvador em janeiro 2017, moramos em são Paulo e estamos numa enorme dúvida se vamos de avião ou de carro!! A preocupação é com os pequenos!! Vc ainda indicaria essa viagem de carro! Quais as dicas que vc poderia dar referente aos cuidados e imprevistos com as crianças!! Muito obrigada!!

      vidadeviajete

      (9 de outubro de 2016 - 07:47)

      Oi Renata, tudo bem?
      Ir de carro ou de avião vai depender muito do espírito aventureiro e do estilo da família.
      Aqui em casa fazemos longas viagens de carro desde que a minha filha tinha 4 anos e nunca tivemos nenhum imprevisto além de pneu furado uma única vez. Rsrs
      Se optarem pelo carro é necessária uma boa revisão e uma conversa com as crianças explicando a aventura e tal. Eu sempre faço bolsinhas com atividades que minha filha gosta e sempre tenho 2 presentes surpresas (1 pra ida e outro pra volta). Geralmente um livro novo, uma revista, coisas simples que chamam a atenção da criança e garante que ela se distraia por um bom tempo.
      Lanchinhos no carro também são importantes pra evitar o mau humor da fome.
      Se precisar de mais alguma dica, é só chamar.
      Beijos!

    Mariana

    (21 de outubro de 2016 - 13:34)

    Que delícia. Me animei. Sou louca pra ir do RJ à Barra grande. Já estamos habituados a viajar pra longe com as crianças. Fomos do RJ a Bonito -MS com nosso mais velho. Na época com 2 anos. E foi maravilhoso.
    Próxima viagem, rumo a Bahia. Obrigada pelas dicas.

      vidadeviajete

      (26 de outubro de 2016 - 09:30)

      Fico feliz que tenha gostado, Mariana.

      Esse destino até o Bonito eu já estou de olho. Rsrs
      Deve ser super bacana!
      Bjs!

    Gustavo Coelho

    (9 de novembro de 2016 - 13:53)

    Caramba!! Estava com vontade de fazer esse itinerário com a família nas minhas férias, me animei ao encontrar o percurso com mapa e locais de descanso. Super útil! Muito obrigado pelo post e agora vamos acompanhar o site de vcs! Vlw!

      vidadeviajete

      (19 de novembro de 2016 - 10:14)

      Oba! Essa viagem é incrível!! Vocês vão amar.

      Beijos!

    Claudia

    (22 de novembro de 2016 - 18:57)

    Simplesmente amei! Hauhau
    Prefiro mil vezes viajar de carro do que de avião. Além de econômico, dá a oportunidade de conhecer vários lugar.
    Vc indica algum tipo de carro específico para essas aventuras? Tenho medinho de passar perrengue na estrada rs

      vidadeviajete

      (23 de novembro de 2016 - 20:06)

      Oi Claudia! Também prefiro viajar de carro. É muito mais emocionante. Rsrs

      Em relação ao carro eu acho que qualquer um que esteja em bom estado e com a mecânica em dia serve. Meu carro é um Fox 1.0 e nunca ficamos na mão com ele.

      Abraços.

    Glaucia

    (16 de janeiro de 2017 - 13:59)

    Oi Natalia, estou pensando em ir do Rio até Itacaré de carro com nossa filha de 4 anos. Aí o marido pergunta se não dá pra ir até a Chapada e eu respondo: nunquinha! Aí dou de cara com o seu post kkkk
    Agora chegou a hora de parar e pensar bem, porque tenho uns 15 dias e muitos lugares em mente 🙂

      vidadeviajete

      (30 de janeiro de 2017 - 19:36)

      Oie!! Dá pra ir sim! E vale super a pena! Em 15 dias vocês fazem muita coisa. Acredite!
      Só verifique direitinho qual estrada irão pegar até a Chapada.
      Bjs!

    Ellen

    (7 de fevereiro de 2017 - 14:09)

    Adorei seu post, Natália!
    Estou querendo ir para Bahia também, mas o carro é 1.0, então tenho medo de não dar muito certo rs…
    Na sua viagem, foi só uma pessoa dirigindo ou foram revezando? Bjs

      vidadeviajete

      (16 de fevereiro de 2017 - 20:21)

      Oi Ellen, tudo bem?

      O nosso carro também é 1.0 e acredite, ele chega aos mesmos lugares que um 2.0 chegaria. rsrs. O importante é estar com a mecânica em dia.

      Nas nossas viagens só o meu esposo dirige. Eu sou a guia…hehe Fazemos as paradas a cada 3 horas e não viajamos na parte da noite.

      Abraços.

    jessica de carvalho

    (16 de fevereiro de 2017 - 19:55)

    oi boa noite vou viajar do rio para feira de santana de carro somos dois adultos e quatro crianças tem pousadas boas no caminho? e minha primeira viagem to super nervosa

      vidadeviajete

      (16 de fevereiro de 2017 - 20:14)

      Oi Jéssica! Tem sim! O ideal é ter em mente em quais cidades irão parar para ter uma noção.

      Bjs!

    Monique Gomes

    (11 de março de 2017 - 20:29)

    Boa noite Natália!

    Adorei sua experiência… irei viajar com o meu namorado na semana que vem, vamos passar 15 dias na estrada. Sairemos do Rio de Janeiro até o Sul da Bahia de carro. Estou mega ansiosa essa será a nossa primeira viagem de carro com mais de 1.000 km.
    Fizemos uma rota com a primeira parada em Itaunas que é divisa da Bahia e depois seguir até morro de São Paulo. Só estou com medo de uma coisa, não reservamos pousadas…sabe me dizer se nesse período de março fica complicado para conseguir estadia?
    Você tbm teria dica de praias e cidades que eu não posso deixar de conhecer nesse trajeto?

    Abraços!

      vidadeviajete

      (12 de março de 2017 - 16:00)

      Oi Monique!

      Março costuma ser um mês bem tranquilo em relação a hospedagem. O que eu recomendo é reservar sempre pelo caminho. Ex.: reservar na sexta a hospedagem pro sábado e por aí vai. Principalmente em Morro de São Paulo.

      Acho que vale a pena parar em Trancoso, Praia do Espelho, Itacaré. Dizem que Prado também é lindo.

      Abraços e boa viagem! 🙂

    Monique

    (13 de março de 2017 - 23:50)

    Obrigada Natália!
    😘

Deixe um comentário pra gente!